25
Ago
Ubuntu Edge, a crónica de um projecto condenado à nascença
por BdB Ubuntu Touch , Ubuntu Edge
A versão Mobile do Linux Ubuntu destinada a tablets e smartphones foi uma das maiores surpresas do Mobile World Congress deste ano. Em Fevereiro a nova plataforma móvel da Canonical relegava para segundo plano o Firefox OS e o Tizen ao ser considerada com a ‘mais completa e refinada das plataformas a lançar durante 2013’.
Afinal o lançamento terá que ficar para mais tarde, provavelmente para 2014 se a Canonical encontrar mesmo forma de o materializar.

Ao contrário das duas outras plataformas móveis estreantes – Tizen e Firefox OS – que desde cedo contaram com mais do que um fabricante envolvido directamente no seu desenvolvimento, o Ubuntu Touch preferiu seguir um caminho alternativo. Em vez de ir buscar apoios do lado dos fabricantes a Canonical decidiu apoiar-se nos potenciais clientes.



Uma campanha lançada num site de crowd-funding pretendia reunir um volume de financiamento na ordem dos 32 milhões de dólares que serviriam para produzir a primeira vaga de um smartphone próprio denominado Ubuntu Edge. Na prática a Canonical pretendia reunir cerca de 50 mil interessados em adquirir o seu dispositivo dual-boot (Android e Ubuntu Touch) antes de iniciar a sua produção.

O objectivo foi falhado por uma grande margem – ‘só’ cerca de 21 mil pessoas demonstraram interesse em adquirir o Ubuntu Edge – tendo sido reunido ‘apenas’ 13 milhões de dólares dos 32 que eram necessários.
Apesar do falhanço evidente, a iniciativa da Canonical teve vários pontos positivos: foi a maior campanha de angariação de financiamento até à data, a ideia de que o Ubuntu pode vir a ser viável em dispositivos de bolso ficou bem vincada e a Canonical continua empenhada em concretizar o lançamento da sua plataforma móvel.


Esta notícia já foi consultada 88742 vezes
 
 
Publicidade