4
Jul
Lançamento dos primeiros terminais Tizen pode sofrer adiamento
por Pedro Ivo Faria Tizen , Intel , Samsung , Tizen Apps Challenge
2013 será lembrado como o ano em que o mercado das comunicações móveis recebeu o seu maior alargamento em termos de plataformas e soluções. Ao Blackberry 10 lançado em Janeiro e ao Firefox OS lançado esta semana irá juntar-se ainda o Tizen, o Sailfish da Jolla e o Ubuntu Mobile. São cinco novas plataformas móveis que irão tentar disputar o competitivo segmento que é liderado actualmente de uma forma inequívoca pelo Android.

Esta liderança tem sido mais consentida do que conquistada e só atingiu a dimensão actual por falta de alternativas capazes. Qualquer companhia que pretenda marca presença no segmento móvel dispõe de dois caminhos possíveis: o Android ou o Windows Phone.
Tendo em consideração as limitações impostas pela Microsoft ao Windows Phone, às taxas de licenciamento e ás dificuldades que a Nokia tem enfrentado para impor os seus terminais, na prática só existe uma verdadeira solução: a Android.

Ao longo dos anos a Google soube aproveitar essa vantagem competitiva e cimentou a sua presença nos vários mercado chegando mesmo a deter 70% de quota de mercado em alguns países e continentes.
A chegada de novas plataformas móveis open-source - casos do FirefoxOS e do Tizen – irá permitir aos fabricantes ter uma maior liberdade de escolha e optar por aquelas que melhor servem os seus propósitos caso a caso.



Depois de muito se ter especulado acerca dos primeiros smartphones baseados no Tizen, a Samsung apontou o início do Verão como a data provável da apresentação do seu primeiros dispositivos baseado nesta nova plataforma. Mas os planos do fabricante (e da intel) poderão ter sofrido alguns ‘ajustes’ e a apresentação oficial vir a acontecer apenas no decurso da IFA 2013 que se realiza em Berlim entre 6 e 11 de Setembro.

Os motivos avançados para este adiamento estarão relacionados com a necessidade de se reforçar o ecossistema de aplicações. A verdade é que, actualmente, a Tizen Store apenas permite que sejam publicadas aplicações para cinco países – França, Japão, Rússia, Ucrânia e Kazaquistão – e que a versão 2.2 do Tizen acaba de ser lançada.
A dar alguma credibilidade a estes rumores aparece também o Tizen App Challenge que terá inicio ainda este mês e visa eleger as 54 melhores aplicações Tizen distribuídas por nove categorias distintas. O valor global de prémios a distribuir irá ascender aos 4 milhões de dólares, o que é mais do que suficiente para motivar a comunidade de developers a apostar nesta nova plataforma.

Esta notícia já foi consultada 87978 vezes
 
 
Publicidade