18
Set
Nokia confirma que a Amazon escolheu a sua solução de mapas
por Pedro Ivo Faria Amazon , Nokia , Navteq , Google Maps , Apple , iOS 6 , TomTom , TeleAtlas
Há uns anos, quando se assistiu à compra das duas principais companhias produtoras de mapas digitais – a Navteq (Nokia) e a TeleAtlas (TomTom) – a Google preferiu manter-se afastada das disputas e apostar na criação de uma solução própria.
Se no início os mapas da Google eram baseados em informação produzida e fornecida por terceiros, com o passar do tempo a dependência foi diminuindo e o ‘peso’ da informação produzida internamente foi aumentando.

Ao longo dos últimos anos a solução de mapas da Google conquistou as várias plataformas móveis e converteu-se numa peça estratégica para a companhia americana. A informação recolhida a partir da sua utilização e as limitações impostas pela Google aos seus parceiros, através da introdução de restrições à informação que pode ser obtida a partir dos seus serviços, está a provocar a dissidência de certas empresas que até agora eram suas parceiras.
Depois da Apple é a vez da Amazon avançar com uma solução própria de mapas baseando-se em alguns fornecedores de conteúdos que já estão a actuar nesse segmento. Na base da nova oferta encontram-se os mapas produzidos pela Nokia (através da sua subsidiária Navteq) que permitem à Amazon aceder e oferecer um conjunto de soluções mais alargada do que aquela que é possível recorrendo a uma licença do Google Maps.

A rotura com a Google surge na sequência das restrições impostas a aplicações desenvolvidas por terceiros (a Amazon não pode usar a aplicação Google Maps nativa por não se basear numa versão ‘oficial’ do Android) e que, de certa forma, choquem com as soluções da Google.
Foi a própria Nokia que confirmou que a Amazon iria passar a usar a sua solução de mapas na gama Kindle Fire, o que lhe permite, por exemplo, oferecer navegação turn-by-turn, informação de trânsito, Interfaces com mos transportes públicos, etc.

Depois do esforço feito para se desvincular das produtoras de mapas digitais associadas às suas concorrentes – Navteq / Nokia e TeleAtlas / TomTom – a Google vê agora o mercado a regressar às vias originais por imposição de uma política demasiado agressiva para o sector.

Esta notícia já foi consultada 93135 vezes
 
 
Publicidade