15
Set
NFC ausente do iPhone 5 por causa da estrutura em alumínio e vidro?
por Pedro Ivo Faria iPhone 5 , NFC , Wireless Charging , Apple
A apresentação de mais uma geração do iPhone foi rodeada, como costume, de um grande interesse. Ao longo dos últimos anos a companhia americana foi-nos habituando a apresentações que têm um grande impacto do ponto de vista de marketing, mediático e tecnológico.
Depois de um iPhone 4S algo decepcionante, com a apresentação do iPhone 5 esperava-se que a Apple voltasse a elevar a fasquia e a reposicionar-se como a grande referência do mercado.

Do ponto de vista comercial pouco ou nada há a apontar ao novo iPhone. É o melhor de sempre e vai vender-se a um ritmo alucinante. Mas a vaga de entusiasmo que se gerou em redor do novo dispositivo não encontra eco na imprensa especializada, nos analistas e naqueles que esperavam uma evolução técnica significativa.
De fora das novidades da Apple ficaram, por exemplo, a tecnologia NFC ou o carregamento sem fios agora popularizado pelos novos Nokia Lumia (embora os Palm Pré já disponham desse tipo de funcionalidade há mais de dois anos).

Phil Schiller, o vice-presidente de marketing da Apple desvalorizou essa ausência argumentando que pouco ou nada iriam acrescentar ao iPhone.
Não há uma evidencia clara de que o NFC resolva qualquer problema existente actualmente. É apenas uma tecnologia facilitadora que, só por si, não acrescenta nada de novo. Por outro lado, o nosso Passbook faz exactamente aquilo que os nossos clientes procuram’. Para Schiller as dificuldades que a Google tem enfrentado para impor o Google Wallet são um perfeito sinal de que o mercado ainda não está verdadeiramente aberto para receber esse tipo de tecnologia no seu dia-a-dia.

Já no que se refere ao carregamento sem fios, a opinião de Schiller é ainda mais incisiva: ‘Não percebo a vantagem. A base de carregamento continua a ter que estar ligada à parede, por isso a única vantagem é não sermos obrigados a encaixar o cabo de alimentação no dispositivo’.

Independentemente da validade destes pontos de vista, parece que a ausência deste dois tipos de tecnologias podem ter origem também numa limitação imposta pelos métodos de fabrico do novo iPhone. A utilização de alumínio na estrutura e de vidro laminado nas capas é um grande obstáculo à utilização destas duas tecnologias que necessitam de uma superfície de contacto isenta de metal (o vidro usado no iPhone contém uma certa percentagem de chumbo e outros metais) para a comunicação e carregamento serem eficientes.
Para integrar este tipo de tecnologias num iPhone, a Apple terá que abdicar dos materiais que tem usado nas tampas traseiras, substituindo-os por plástico, policarbonato ou kevlar, algo que dificilmente acontecerá por imposição do departamento de marketing.


Esta notícia já foi consultada 20241 vezes
 
 
Publicidade