26
Jun
Surgem os primeiros esboços do Blackberry Messenger para o Blackberry 10
por G5 Blackberry 10 , Blackberry Messenger , BBM
O lançamento comercial do Blackberry 10 ainda é um mero ponto no horizonte e o pouco que se conhece veio das apresentações que a RIM foi fazendo ao longo dos últimos meses. O terminal distribuído aos programadores – o Blackberry Dev Alpha – encontra-se ‘vazio’ e serve, essencialmente, para que estes possam testar as suas aplicações antes dos modelos comerciais chegarem ao mercado.



Depois de se ter conhecido os dois formatos que estarão disponíveis no início do próximo ano – um full touch e outro com teclado físico – chegou a altura de ficarmos com um ideia de como irá ficar a aplicação mais emblemática da RIM: o Blackberry Messenger.
A interface encontrada em mais uma fuga de informação pouco acrescenta aquilo que já é conhecido em outros instant messengers disponíveis para outras plataformas móveis, o que significa que a RIM está a seguir as tendências do mercado.

Para além de prever a forma como a aplicação se vai adaptar à presença de teclados físicos e teclados virtuais, a RIM também está a levar em consideração a necessidade de se economizar energia para garantir uma boa autonomia. Uma das abordagens possíveis passa por controlar as cores que são usadas, através da aplicação de um tema específico, onde predomina o negro. Em ecrã OLED, por exemplo, isso significa que os pixels negros não serão activados / iluminados, reduzindo-se ao essencial o consumo de energia (texto, separadores e ícones).

O que poderá estar de saída é o trackpad óptico que será substituído por uma abordagem táctil mesmo em modelos equipados com o tradicional teclado dos Blackberry. A navegação passa para o ecrã tal como alguns elementos que não podem ser representados fisicamente. É o caso do auxílio de texto que vai usar o fundo do ecrã para apresentar sugestões e correcções que podem ser seleccionadas com um simples toque.
Tudo isto representa um avanço no desenvolvimento da plataforma Blackberry 10, mas a dificuldade em manter os prazos de execução controlados pode vir a comprometer todo o esforço feito.

Esta notícia já foi consultada 31196 vezes
 
 
Publicidade