11
Jun
Microsoft decidiu não comprar a Nokia
por Pedro Ivo Faria Microsoft , Nokia , Lumia
No panorama actual a ligação entre a Nokia e a Microsoft tem sido benéfica à segunda mas bastante prejudicial à primeira. O anúncio antecipado da sua mudança de estratégia, numa altura em que ainda não dispunha de um produto final para vender, condenou as vendas da companhia finlandesa e lançou-a numa espiral descendente que a afastou da liderança do mercado pela primeira vez em mais de 10 anos.

As dificuldades sentidas em impor no mercado a sua gama Lumia baseada no Windows Phone 7.5 colocou a companhia numa posição fragilizada e deu azo a várias especulações que davam conta do possível interesse de outras marcas em adquirir a Nokia (com a Samsung à cabeça).
Mesmo sabendo que a Nokia ‘não está à venda’, a direcção da Microsoft reuniu-se para avaliar o tipo de impacto e risco que poderia resultar de uma potencial aquisição.

Com a Nokia impossibilitada de escolher uma nova direcção sem perder a credibilidade do mercado, a direcção da Microsoft considerou que não seria vantajoso avançar com uma proposta para aquisição da companhia finlandesa, tanto mais que esta não tem grandes alternativas senão continuar a apostar no Windows Phone.
O cenário ‘a Nokia não quer vender e a Microsoft não quer comprar’ teve pelo menos a vantagem de colocar um ponto final nos rumores que envolviam um possível aquisição da Nokia por companhias asiáticas que necessitam de reforçar a sua imagem no mercado e têm a capacidade financeira para tentar esse passo.

Esta notícia já foi consultada 15495 vezes
 
 
Publicidade