31
Mai
É mais barato fabricar um iPhone do que um Nokia Lumia 900
por Pedro Ivo Faria Apple , Nokia , iPhone , Lumia 900
Há cada vez mais marcas a usarem o argumento ‘preço’ como factor de promoção dos seus produtos. Sempre que chegam à conclusão de que os seus dispositivos não conseguem competir de igual para igual com os modelos mais populares do mercado a solução passa, normalmente, pela baixa do preço de venda.



Mas para se baixar o preço de venda é necessário ter um preço de fabrico baixo que dê alguma margem de manobra à marca para poder ajustar o preço sem assumir grandes perdas. Na gama baixa a vantagem está claramente do lado dos fabricantes chineses (ZTE, Huawei, …) mas na gama alta é a Apple que dispõe do preço de fabrico mais baixo.
Quando se compara o iPhone 4S com o Nokia Lumia 900, por exemplo, verifica-se uma vantagem clara do modelo americano que tem um preço de produção quase 10% mais baixo que o do finlandês não obstante estar a ser vendido com um preço 44% mais elevado.

Para a ZDnet, ‘a Nokia tem que seguir o caminho do Android. Tem que vencer a concorrência com preços mais baixos, fixar os clientes através de um ecossistema satisfatório, ganhar vantagem nas negociações com os fabricantes e operadoras móveis e começar a praticar preço mais favoráveis’.
Enquanto a Nokia e a Microsoft tentam conseguir baixar os preços de produção com o objectivo de conseguirem colocar no mercado terminais capazes de concorrer directamente com os modelos Android de entrada de gama, a Apple continua a manter uma oferta baseada unicamente em modelos de gama alta (e média-alta no caso do iPhone 3GS) com o sucesso que lhe é reconhecido.

Estes resultados deixam no ar incerteza em redor da necessidade da Microsoft disputar a entrada de gama com modelos limitados já que a Apple continua a crescer e não necessitou de enveredar por essa via.

Esta notícia já foi consultada 84914 vezes
 
 
Publicidade