1
Mai
RIM apresenta plataforma Blackberry 10
por G5 Blackberry 10
Orlando foi a cidade escolhida pela RIM para acolher os seus dois maiores eventos anuais. O Blackberry World é dirigido aos parceiros que pretendam conhecer em primeira mão as novas soluções e serviços da companhia canadiana e o Blackberry Jam destina-se a mostrar aos programadores como eles podem fazer parte dessa nova realidade.
Comum a ambas é a apresentação da plataforma Blackberry 10 que servirá de base tanto para os futuros smartphones da marca como para a sua linha de tablets.



A nova plataforma é gerida a partir de gestos, como acontece com o MeeGo, usa a sobreposição de aplicações para dar oportunidade ao utilizador de alternar entre elas (como faz o WebOS) mas há um par de funcionalidades que vêm demonstrar a veia criativa da companhia canadiana.
Apesar do CEO da RIM garantir que no roadmap da empresa se encontram dispositivos equipados com teclados QWERTY físicos, uma das mais valias da nova plataforma é o seu teclado virtual. Este leva a um novo nível a assistência à escrita ao associar palavras inteiras a certas teclas, antecipando aquilo que o utilizador pretende escrever.




Já a câmara fotográfica permite recuar no tempo e refazer partes da foto acabada de tirar. Se algumas das pessoas ficou com os olhos fechados já não é necessário tirar outra foto. Basta seleccioná-la e escolher um momento em que ela estava com os olhos abertos. O mesmo se passa com as fotos de paisagens ou monumentos que foram temporariamente encobertos por algum transeunte ou veículo.




Para além das apresentações dinâmicas efectuadas pela RIM, os programadores terão oportunidade de testar parte da plataforma em casa recorrendo a um dos dispositivos de desenvolvimento que a companhia criou para ajudar a acelerar o desenvolvimento de aplicações compatíveis com a nova plataforma.
O Blackberry Dev Alpha distancia-se de tudo o que a RIM fez até hoje e surge como um modelo híbrido que irá estabelecer uma ponte entre o presente e o futuro da marca. O dispositivo conta com um ecrã de 4.2 polegadas com resolução de 768x1280 pixels (igual à do Playbook), 16 GBytes de memória interna, conectividade LTE e NFC, duas câmara fotográficas (frontal e posterior), 1 GByte de RAM e um processador não divulgado.



Por enquanto o sistema operativo ainda se encontra numa fase bastante embrionária mas irá sendo actualizado à medida que novas versões forem ficando disponíveis. No final do programa de apoio ao desenvolvimento, os programadores poderão trocar este equipamento por um verdadeiro Blackberry 10.
Nesta fase apenas o browser e a aplicação de câmara fotográfica estão disponíveis (não é possível sequer fazer uma chamada telefónica) mas todos os componentes de sistema já se encontram implementados o que permitirá aos programadores começarem já a desenvolver e testar as suas aplicações.

A RIM já assegurou que um bom número de editoras de jogos e software irão apoiar a sua nova plataforma. A Gameloft, por exemplo, está a ultimar 11 jogos para os novos Blackberry, a Wikitude, a AccuWeather e a Mippin já têm as novas aplicações praticamente concluídas e a Marmalade já confirmou que não são necessárias grandes alterações no código dos jogos criados sob a sua plataforma para que estes corram no Blackberry 10.
A loja de aplicações móveis da companhia canadiana já conta com quase 100 mil aplicações, das quais quase um quarto foi desenvolvida especificamente para o Blackberry Playbook e poderá ser facilmente convertida para a nova plataforma.

Durante a sessão também se confirmou que a versão 4G / LTE do Blackberry Playbook irá ser lançada ainda este ano.

Esta notícia já foi consultada 26361 vezes
 
 
Publicidade