21
Mar
Windows Phone estreia-se no Mercado chinês
por CVF Windows Phone , HTC Eternity , Tango , Nokia Lumia 610
A Microsoft conseguiu finalmente lançar comercialmente o Windows Phone no mercado chinês, dando um passo gigante na sua estratégia de ataque ao segundo lugar entre as plataformas móveis disponíveis no mercado.



A HTC conseguiu antecipar-se a toda a concorrência e lançou comercialmente o HTC Eternety, um modelo derivado do HTC Titan que conta com um poderoso processador a 1.5 Ghz e um enorme ecrã de 4.7 polegadas. Brevemente também estarão disponíveis terminais da Nokia, da Samsung e da ZTE que vêm preencher as gamas de entrada. Média e de topo. A Microsoft coloca grandes esperanças no Nokia Lumia 610 e no ZTE Orbit, dois modelos de especificações modestas baseados no Windows Phone 7.5 Refresh e cujo preço final ficará próximo dos 200 euros.

Para o CEO regional da Microsoft, Simon Leung, ‘o Windows Phone será o líder de mercado na China já em 2016. Continuaremos a trabalhar com o objectivo de baixar o preço dos nossos terminais já que queremos ser o número um. Estabelecer como objectivo ser o número dois na realidade é não ter qualquer objectivo’.
A confiança de Leung não é partilhada pela generalidade dos analistas de mercado que encontram no preço elevado dos dispositivos (face a alternativas similares baseadas em Android) um dos grandes obstáculos à sua disseminação.


A Nokia tem agendada uma apresentação própria para o final do mês, altura em que se espera que dê a conhecer a sua oferta comercial para o mercado chinês. O sucesso da estratégia Windows Phone 7 no mercado chinês é fundamental para a Nokia que depende dos mercados emergentes, em especial os asiáticos e a América Latina, onde detinha quotas próximas dos 50%.

A Trefis, uma empresa de análise de mercado, considera que a incapacidade da Nokia manter a sua quota no mercado chinês, construída ainda com modelos baseados no Symbian, trará enorme dificuldades para a companhia finlandesa e poderá afastá-la definitivamente dos lugares cimeiros entre os produtores de smartphones.

Esta notícia já foi consultada 26011 vezes
 
 
Publicidade