19
Dez
NFC Forum e Bluetooth SIG lançam guia para agilizar interligação de tecnologias
por Pedro Ivo Faria NFC , Bluetooth , NFC Forum , SIG , GSMA
A tecnologia NFC tem sido encarada como a grande provedora dos micro-pagamentos móveis que, dizem, irá revolucionar a indústria móvel e a forma como nos relacionamos com os nossos telemóveis.
Face a esta ‘ideia feita’ a NFC tem tentado relembrar que a tecnologia NFC pode ser usada para outras finalidades e que o caminho é até mais curto e menos tortuoso do que o dos pagamentos móveis.

Em parceria com a Bluetooth SIG, o NFC Forum editou um guia que serve de referência para os fabricantes para a implementação de soluções cruzadas que privilegiam a identificação via NFC entre dois equipamentos como meio de estes estabelecerem uma conexão Bluetooth.
Auriculares, altifalantes, pedómetros, bandas de fitness, TVs e até automóveis podem beneficiar da associação destas duas tecnologias enquanto método de identificação fidedigna e de comunicação a curta distância.


Entretanto a GSM Association publicou um novo documento que exprime o tipo de implementação que as operadoras móveis gostariam de ver implementadas em terminais móveis equipados com tecnologia NFC.
O objectivo é fornecer aos fabricantes uma ‘linha condutora’ que lhes permite caminhar numa única direcção e favorecer a implementação de serviços e soluções NFC a nível global.

Entre as especificações referidas no documento encontras a ‘obrigatoriedade de existir apenas um elemento seguro activo quando é efectuada uma transacção’ (o que vai penalizar os terminais dual-SIM) e a ‘obrigatoriedade dos terminais usarem a componente segura dos cartões SIM’ (o que coloca o controlo das transacções nas mãos das operadoras móveis).

A GSMA evoca várias razões para a uniformização da tecnologia em redor de uma única via, como sejam condições técnicas, financeiras, compatibilidade, alcance global, etc, mas deixa de fora a vontade dos fabricantes e das entidades bancárias que certamente terão uma posição diferente referente a este assunto uma vez que, no documento da GSMA, são relegados para posições secundárias.

Esta notícia já foi consultada 10875 vezes
 
 
Publicidade