21
Jan
HTC Flyer, o primeiro de três tablets Android do fabricante chinês
por CVF HTC , Flyer , Tablet , Android 2.3 , Android 3.0 , Gingerbread , Honeycomb , HTC Sense , HTC Sensation
O timing definido pela Google para o anúncio oficial do Android 3.0 (Honeycomb), a primeira versão do Android criada a pensar especificamente em tablets, obrigou vários fabricantes a adiarem a apresentação das suas propostas para este segmento. Quem não quis esperar teve que optar entre lançar um dispositivo com um ecrã grande, baixa resolução (800x600 pixels) e acesso ao Android Market (caso da ZTE) ou definir as especificações livremente e ficar sem acesso à loja de aplicações online da Google (Toshiba Folio 100, por exemplo).

A HTC foi um dos fabricantes que preferiu esperar até que o Android 3.0 estivesse disponível para integração em produtos finais mas a crescente oferta e procura de tablets Android poderá ditar uma mudança de estratégia.
Durante o Mobile World Congress, a marca chinesa deverá apresentar pelo menos um tablet baseado em Android que está presentemente a ser desenvolvido sob nome de código HTC Flyer.



Segundo o Digitimes, este primeiro modelo será na prática um HTC Desire HD de grandes dimensões, destacando-se da actual gama da HTC essencialmente pelo ecrã de 7 polegadas (resolução de 1024x600 pixels). No interior não há grandes novidades. Existe um processador Qualcomm a 1 GHz, conectividade 3G, WiFi e Bluetooth, 4 GBytes de espaço de armazenamento e suporte para tecnologia DLNA. Duas câmara fotográficas, uma com 5 MPixels e outra com 1.3 MPixels e a saída HDMI completam as especificações base.
Para evitar mais atrasos no seu lançamento, a HTC decidiu avançar com uma versão baseada no Android 2.3 (Gingerbread), complementada como sempre pelo HTC SenseUI (neste caso uma versão revista), mas uma actualização para a mais recente versão da plataforma móvel da Google para tablets estará disponível logo que a Google faça o lançamento oficial.

Mais dois tablets estão escalados para o segundo trimestre de 2011, já com tecnologia LTE e ecrãs de 10 polegadas, para fazer face ás propostas da Motorola, Toshiba, LG e Samsung. A vantagem que a HTC conquistou no segmento dos smartphones Android deve-se, sobretudo, por ter sido a primeira empresa a adoptar a plataforma móvel da Google, algo que dificilmente irá repetir no segmento dos tablets.

Esta notícia já foi consultada 5007 vezes
 
 
Publicidade