27
Abr
2007
Até agora era necessário recorrer ao TCPMP, ou à sua versão comercial – o CorePlayer , para aceder a conteúdos DivX ou Xvid. Esta falta de concorrência não só penalizava os utilizadores, que não tinham grande margem de escolha, como também constituía um incentivo para que o desenvolvimento de novas funcionalidades ficasse na gaveta.

A Stage6, a empresa que faz parte do projecto de suporte à tecnologia DivX, decidiu lançar uma versão do seu popular software para as principais plataformas móveis, onde se inclui o Windows Mobile, o Symbian e o PalmOS.ver a notícia completa
Esta notícia já foi consultada 23176 vezes
5
Abr
2007


Ao longo dos anos a Fujitsu-Siemens foi-nos presenteado com equipamentos muito bem conseguidos, bem equipados e construídos mas, por alguma razão, nunca alcançou a popularidade dos HP iPAQs entre os dispositivos não convergentes.

Após a Toshiba ter abandonado o segmento dos PocketPCs, coube à Fujitsu-Siemens ocupar o estatuto de fornecedor de equipamentos fora de série dotados de características acima da média, como foram os bem sucedidos Pocket Loox 720, a série Loox 400 ou, mais recentemente, os navegadores pessoais da família N500.
Com uma legião de entusiastas que seguem fielmente as propostas da marca, a empresa nipo-germánica prepara-se para enveredar pelo árduo caminho dos terminais convergentes onde a concorrência é muito aguerrida e se encontra (demasiado) bem implantada.

A primeira proposta (na realidade já existiram outros terminais com funcionalidades de telefone mas foram fabricados pela HTC e lançados apenas sob designação Siemens) da marca é no mínimo muito ambiciosa.
O Pocket Loox T830 foi a primeira alternativa 3G aos terminais HTC, conta com um teclado QWERTY integrado e ainda com um receptor GPS baseado no chip SiRF Star III.
Olhando apenas para as especificações técnicas é impossível deixar de concordar que estamos perante um dos mais completos equipamentos do mercado. Mas a realidade mostra que talvez não seja bem assim …

Ao contratar a Compal para lhe fabricar este dispositivo a Fujitsu-Siemens estava a correr um risco calculado já que depositava nas mãos de uma empresa sem grandes provas dadas na produção de terminais 3G, um dos equipamentos mais completos e ambiciosos do mercado.
Ao longo desta análise serão aprofundadas algumas das opções técnicas efectuadas assim como as soluções apresentadas e o desempenho global deste equipamento.
ver a notícia completa
Esta notícia já foi consultada 42094 vezes
7
Jan
2007

Poucas são as empresas portuguesas que apostam no desenvolvimento de soluções para dispositivos móveis dirigidas ao público em geral.
A maioria prefere apostar nas soluções verticais, onde é apresentado um problema ou situação e é criada uma solução à medida.

Mas se o número de empresas nacionais com esse perfil já, por si mesmo, é bastante reduzido, quando se fala na criação de jogos para plataformas móveis então estaremos a falar de algo verdadeiramente escasso.
Escasso, mas existente. A prová-lo está a última criação da Lubimate, uma empresa sedeada em Lisboa e que cria jogos para as plataformas Symbian e Windows Mobile com uma incursão ocasional no Windows para computadores de secretária.

O Tilelander é um jogo que pode assumir duas aspectos, qual Dr. Jeckyl e Mr. Hide. Pode ser encarado como um imenso puzzle onde as jogadas são decididas usando todo o tempo do mundo, ou como um furioso wipeout onde a velocidade de execução se sobrepõe à estratégia.ver a notícia completa
Esta notícia já foi consultada 20370 vezes
17
Nov
2006


À terceira é de vez” – diz a sabedoria popular … que também afirma “não há duas sem três”.
Sobre a terceira linha de PocketPCs convergentes da HP recaem muitas esperanças e expectativas, podendo esta vir a dar o mote para as futuras gamas de HP iPAQs.

Depois de as linhas h6300 e hw6500/hw6900 não terem alcançado os objectivos desejáveis, com a nova série iPAQ rw6815 a HP pretende recuperar algum do terreno perdido para outras marcas, em especial para a HTC.

A ‘nova’ proposta da HP assenta sobre uma solução já bem conhecida, fabricada pela Quanta Computers, Inc, e já devidamente testada uma vez que é comercializado sob outras marcas.
O terminal GSM/GPRS criado pela Quanta pode ser encontrado ostentando marcas como O2 XDA, ORSiO ou Rover, sendo na maioria dos casos acordos de distribuições locais ou regionais, enquanto que a HP se assume como único caso de distribuição global.

O primeiro mercado a receber este equipamento foi o asiático, onde foi lançada uma versão personalizada do O2 XDA Atom – o HP iPAQ rw6818/rw6828.
Uma vez que este terminal não se respeitava integralmente as regras de certificação europeias e americanas, bastante mais exigentes que as asiáticas, a HP teve que trabalhar num novo ‘miolo’ para a versão a lançar no velho continente.

O HP iPAQ rw6815 surge na mesma ‘embalagem’ que o seu irmão asiático mas apresenta um conteúdo devidamente modificado para permitir a sua certificação, homologação e distribuição por uma boa parte das operadoras móveis europeias.ver a notícia completa
Esta notícia já foi consultada 61750 vezes
19
Out
2006


A nova era da HTC, agora com responsabilidade directa na distribuição e comercialização dos equipamentos fabricados, arrancou com o lançamento de dois terminais 3G – o HTC TyTN e o HTC MTeOR.
Com o alargamento da gama, anunciado no inicio de Setembro, a HTC passa a contar com mais um terminal 3G+, desta vez recuperando o formato que maior sucesso alcançou na marca – o do Qtek S100 / S200.

Como o HTC P3600, derivado do conceito HTC Trinity, a HTC passa a dispor de um terminal evoluído, compacto e atraente que tem nos terminais da Nokia os seus principais opositores já que no segmento Windows Mobile continua a não existir concorrência credível.

O artigo que se segue resulta da utilização de um HTC Trinity de pré-produção, daí que alguns resultados possam ser ligeiramente diferentes no dispositivo final, durante mais de 20 dias e só foi possível devido à amabilidade de um dos nossos parceiros que cedeu o equipamento em questão.
Os agradecimento estendem-se também à cadeia de lojas FNAC que emprestou os outros equipamentos usados no segmento comparativo, nomeadamente o Qtek S200 e o HTC TyTN.ver a notícia completa
Esta notícia já foi consultada 144086 vezes
5
Set
2006


Se o segmento dos PocketPCs é muito aguerrido, com diversas marcas a apresentarem modelos para todos os gostos e feitios, já entre os Smartphones Windows Mobile a HTC praticamente não tem concorrentes.

Presente desde os momentos iniciais e não contando com a oposição de qualquer modelo proveniente de outra marca que tenha alcançado uma posição de relevo, seria natural que a HTC fosse dormindo sobre os louros conquistados e apresentando pequenas evoluções no conceito e na forma.

Com o HTC MTeOR, e em especial com o Excalibur a lançar brevemente (com designação HTC S620), a HTC deixa bem claro que não pretende entrar em velocidade de cruzeiro e que continua a investir na produção de terminais inovadores e avançado.

Já se sabia que seria uma questão de tempo até a HTC lançar um modelo, como este HTC Excalibur, para combater a popularidade crescente que o Motorola Q está a conquistar doutro lado do Atlântico e da investida tímida da Samsung com o SGH-i320.
Mas este terminal não pretende lutar taco a taco com a concorrência. O objectivo é mesmo cilindrá-la e tornar-se no líder incontestável do segmento.

Tendo em conta que, nos Estados Unidos a Motorola vende cerca de 500 Qs por dia (mesmo assim bem longe dos 5 milhões de RAZR vendidos até ao momento) como será o trunfo que a HTC tem na manga para assegurar a primazia neste segmento?
Na análise que se segue poderá conhecer todos os detalhes, fotos e experiências recolhidos ao longo de uma semana de utilização do HTC Excalibur.

Antes de começar a nossa mensagem de apreço para a entidade que nos cedeu o terminal para teste (e a devida autorização para o publicarmos) e à cadeia de lojas FNAC que emprestou os restantes terminais usados nas fotos comparativas (Nokia E61, etc).ver a notícia completa
Esta notícia já foi consultada 46062 vezes
9
Jul
2006
A ACER, depois de ter alcançado a primeira posição em vendas de computadores portáteis no espaço EMEA (Europe, Middle East and Africa), dirige as suas atenções para um segmento em franca expansão: os dispositivos Windows Mobile.
Com o lançamento do modelo n50 a ACER tentava destacar-se da imagem de produtor de equipamentos de entrada de gama, onde o preço era um franco atractivo porém a qualidade geral deixava algo a desejar, principalmente quando comparada com as propostas de outros fabricantes.

Com a linha n300, que é composta por dois modelos, a ACER tenta cativar os utilizadores dos segmentos superiores, oferecendo quase tudo o que é possível desejar num equipamento tradicional.
Sem apresentar características inovadoras, o ACER n311 apresenta um conjunto de especificações que lhe permitem sobressair no meio do segmento, quanto mais não fosse por ser o primeiro construtor a propor um terminal não convergente (sem funcionalidades de telemóvel) com um magnífico ecrã VGA e o Windows Mobile 5.ver a notícia completa
Esta notícia já foi consultada 27322 vezes
17
Jun
2006
A HP e a Dell foram os únicos fabricantes que decidiram lançar actualizações para o Windows Mobile 5 destinadas a alguns dos modelos que se encontravam em comercialização.
Se a evolução do sistema operativo na linha hx2000 da HP decorreu sem qualquer tipo de problemas, já tanto os Dell Axim x50 como os iPAQ hx4700 não tiveram a mesma sorte.
Aqueles que anteriormente eram reconhecidos como os dispositivos mais rápidos e potentes do mercado, com a instalação do Windows Mobile 5 começaram a apresentar um comportamento pouco uniforme, a funcionar aos soluços e, acima de tudo, ficaram substancialmente mais lentos.

Em ambos os casos foram identificados diversos problemas e criadas abordagens que permitiam minorar os efeitos nocivos que o Windows Mobile 5 parecia ter sobre o hardware.
Mesmo com diversas optimizações, com avanços e recuos quanto ao melhor caminho a seguir até à identificação no nefasto filesys.exe, o responsável por todos os males, a verdade é que ainda há uma pergunta por responder: “Valerá a pena instalar o Windows Mobile 5 num HP iPAQ hx4700 ?”.ver a notícia completa
Esta notícia já foi consultada 17076 vezes
15
Mai
2005
Grande parte da reputação, e presença no mercado, da Qtek foi construída à volta do modelo 2020.
Actualmente considerado desactualizado, principalmente a partir da altura que a Qtek alargou a sua oferta introduzindo no mercado os modelos 9090 e S100, este modelo prepara-se para passar o testemunho ao seu sucessor – o Qtek 2020i.

A nova designação, e aspecto exterior, não deixam adivinhar a profundidade das diferenças existentes entre ambos os modelos algo que tentaremos esclarecer nesta análise comparativa.
[LINHA]Especificações Técnicas
Partindo na base existente - o Qtek 2020 - a HTC acrescentou-lhe mais 64 MBytes de ROM, WiFi, alterou o suporte Bluetooth – agora com stack da Wildcomm - a câmara digital e a capacidade da bateria e obteve um novo modelo.
ver a notícia completa
Esta notícia já foi consultada 19061 vezes
6
Mai
2005
À primeira vista eles são totalmente diferentes mas numa observação mais cuidadosa, especialmente levando em conta as especificações técnicas de ambos os modelos – 128 MBytes de ROM, WiFi, Bluetooth, Processador XScale a 624 MHz, Windows Mobile 2003 Second Edition – constata-se que são mais parecidos do que aparentavam.
Porque razão manterá a HP dois dispositivos com especificações tão idênticas em catálogo ?

Esta análise individual e comparativa tenta responder a essa questão aos expor os pontos comuns e, principalmente, as grandes diferenças entre os dispositivos.



[LINHA]Comparativo
Embora a análise recaia essencialmente sobre os HP iPAQ hx4700 e HP iPAQ hx2750 também foram levadas em conta, a título comparativo, as restantes ofertas da HP actualmente disponíveis.



Assim temos, da esquerda para a direita e de cima para baixo, os seguintes HP iPAQs: hx2410, hx2750, hx4700, h6340 e rx3750.
Os três dispositivos extra apenas figurarão nos gráficos de benchmarking e foram considerados por incluírem Bluetooth e WiFi.


Especificações Técnicas
Como foi referido este dois dispositivos são muito parecidos
HP iPAQ hx4700HP iPAQ hx2750
ProcessadorIntel XScale PXA272 a 624 MHz
ROM128 Mbytes
RAM64 Mbytes128 Mbytes
WiFi 802.11b integradoSim
Bluetooth 1.2 integradoSim
Ecran4’’ VGA3,5’’ QVGA
Leitor Secure DigitalSim
Leitor Compact FlashSim
Bateria1800 mAh1440 mAh
CradleSim
NavegaçãoSynaptics NavPoint
TouchPad
D-Pad
Leitor BiométricoNãoSim
Sistema operativoWindows Mobile 2003 Second Edition
SoftwareDockWare
Pocket informant
CluearVue PDF e Presentation
WiFi Manager
ver a notícia completa
Esta notícia já foi consultada 14822 vezes
 
 
25 684 222 visitantes
2170 online neste momento