22
Mai
2013
Discretamente e em apenas um par de anos a Huawei passou de um fabricante asiático de material informático pouco conhecido a um dos maiores players do segmento móvel. O quarto maior entre os fabricantes de smartphones da actualidade, para se ser mais concreto.
Grande parte deste sucesso deveu-se à plataforma Android que permitiu ao fabricante criar uma linha de dispositivos acessíveis e com um relação preço / qualidade excelente.



A necessidade de diversificar a sua oferta levou a Huawei a recorrer a outras plataformas móveis como forma de conseguir alcançar outro género de cliente. Depois de ter sido uma das primeiras a anunciar o apoio e adopção da plataforma Tizen, a companhia optou por incluir também o Windows Phone 8 no seu leque de soluções.
ver a notícia completa
Esta notícia já foi consultada 70527 vezes
1
Mai
2009
A parceria entre a TMN e a ZTE já não é propriamente uma novidade e no passado recente deu origem a alguns produtos, distribuídos ostentando ambas as marcas, que se distinguiam pela relação entre o preço, a qualidade e a funcionalidade.
Desta vez a TMN foi mais longe e decidiu lançar no mercado um terminal Windows Mobile avançado de marca própria: o TMN Bluebelt.



Apesar de não ter a mesma reputação que a HTC, a Gigabyte ou a Inventec, a ZTE Mobile é uma estrutura enorme que produz telemóveis, smartphones e placas 3G para operadoras em redor do globo.
O seu primeiro terminal Windows Mobile a ser lançado comercialmente em Portugal, e apadrinhado pela operadora móvel líder nacional, tem no preço - € 199 - o seu principal argumento sem que isso signifique que estamos perante um equipamento de segunda ou de qualidade inferior.



O TMN Bluebelt vem equipado com tudo o que pode ser encontrado nos mais recentes modelos da concorrência (excepção feita ao ecrã VGA). Dispõe de um formato interessante e de um design que não compromete.
O processador adoptado pela ZTE é o mesmo Qualcomm MSM7225 a 528 MHz que pode ser encontrado no HTC S740, no Touch Cruise 2009 ou no Touch 3G, e que garante desde logo o suporte para redes 3G+ (HSDPA até 7.2 MBps e HSUPA de 1.8 Mbps) e a existência de um receptor A-GPS.ver a notícia completa
Esta notícia já foi consultada 53904 vezes
21
Abr
2009
Chegou o SPB Mobile Shell 3.0
por Pedro Ivo Faria
O produto para Windows mobile que mais vendeu durante o ano de 2008 foi actualizado e encontra-se ainda mais completo e sofisticado. De acordo com a própria SPB, esta é a iinterface para o Windows Mobile, ou seja, a que melhor garante o acesso a todas as funcionalidades do sistema operativo sem prejudicar ou limitar a forma como o utilizador interage com o dispositivo.



A navegação por gestos, introduzida pela primeira vez pela HTC no TouchFLO, veio para ficar e encontra-se disponível em toda a amplitude do Mobile Sheel 3.0.
A nova versão foi alargada e deixou de oferecer apenas como um launcher onde estão colocados diversos atalhos definidos pelo utilizador (parte disto já se encontrava implementado na versão anterior).ver a notícia completa
Esta notícia já foi consultada 41102 vezes
18
Fev
2009
À segunda foi de vez! Depois de ter gorado todas as expectativas de quem se deslocou a Barcelona no ano passado, a Microsoft apresentou oficialmente a nova versão intermédia do Windows Mobile.
A meio caminho da versão 7, que promete uma renovação de alto a baixo, o Windows Mobile 6.5 avança já com alguns elementos gráficos da futura geração na tentativa de reduzir a distância que o separa das restantes plataformas em termos de usabilidade e facilidade de utilização.

Há um ecrã Hoje totalmente novo, um menu iniciar ‘fresquinho’ e um sem número de pequenas melhorias gráficas que tornam esta versão mais finger friendly, apesar de não chegar tão longe como certas interface criadas por fabricantes e operadoras móveis.
Um das mudanças mais radicais foi … no nome. Tal como aconteceu com a plataforma PocketPC, o Windows Mobile retira-se para dar espaço para o aparecimento do Windows Phone que continua a dividir-se entre a categoria Professional (para equipamentos com ecrã táctil) e Standard. O sistema operativo mantém o nome – Windows Mobile – mas os terminais passam a adoptar a nova designação.


Ecrã de bloqueio

Até esta versão, e desde que foi introduzido, o ecrã de bloqueio não passava de um ecrã Hoje que não respondia aos toques. O argumento para esta opção era (e continua a ser) válido: não é necessário desbloquear o terminal para saber se recebeu mensagens, o que vai fazer a seguir ou se há chamadas perdidas.
Horas, potência de sinal e carga de bateria complementam a informação disponível, que agora é apresentada de uma forma totalmente diferente mas igualmente eficaz.



Pequenos ícones substituíram os longos textos e encontram-se acompanhados de um contador nos casos em isso for relevante. Este contador indica o número de chamadas perdidas, mensagens recebidas ou compromissos para as próximas horas.
O fazer deslizar o dedo sobre um destes ícones não só irá desbloquear o terminal mas também lançar a aplicação que está a ele associada. Num só gesto condensam-se três ou quatro cliques.ver a notícia completa
Esta notícia já foi consultada 40756 vezes
19
Abr
2008
Análise ao NDrive S300
por Pedro Ivo Faria gps
Se há característica irritante em boa parte do povo português é a sua constante necessidade de denegrir e menosprezar o que é feito dentro de portas. Somos uma nação convicta de que nada de bom pode sair da imaginação do português comum e que apenas o que nos chega do exterior é válido e interessante.
É contra esta maré que navega a NDrive, assumindo-se como uma das nossas principais bandeiras de inovação tecnológica e dedicação às tecnologias emergentes.




A par do lançamento de diversos Navegadores Pessoais (PNDs) a empresa do Norte decidiu dar o difícil passo de colocar no mercado o primeiro dispositivo criado de acordo com as suas especificações técnicas. Escolhido o parceiro / fabricante, neste caso a TechFaith Wireless, a empresa nacional arregaçou as mangas e deitou-se ao trabalho.
Desta parceria conjunto viria a nascer ‘o primeiro telemóvel português’ – o NDrive S300 - fabricado na China (como quase todos os terminais Windows Mobile da actualidade) e distribuído em exclusivo pela NDrive.ver a notícia completa
Esta notícia já foi consultada 58613 vezes
10
Out
2007
Preview do HTC Shift
por pcdebolso
Entre os equipamentos que a HTC tem previsto para o final do ano, há um que se destaca e que tem vindo a gerar uma onda de curiosidade à volta dele: o HTC Shift.
A primeira incursão da marca nos ‘computadores a sério’ está a ser vista não só como um experiência mas também como uma sonda para mercados onde a marca até agora não está representada.



Partindo da plataforma Ultra Mobile PC da Microsoft, e desenhado em parceria estreita com a Intel que aposta fortemente neste segmento como futuro da computação móvel, a HTC criou um dispositivo híbrido onde são conciliadas as vantagens (e desvantagens) do Windows Vista e do Windows Mobile.


Nota prévia

Este preview não se enquadra nas análise a equipamentos que normalmente publicamos por duas razões: primeiro só foi possível deste equipamento durante cinco dias o que é insuficiente para realizarmos a nossa habitual bateria de testes, segundo porque se trata de uma sample ainda em estado de desenvolvimento não apresentando os acabamentos e conteúdos da versão final.
Se exteriormente pouco irá mudar, apenas será adoptado o negro como cor dominante e em vez de um acabamento polido e brilhante a HTC irá adoptar o mesmo material usado no Touch (toque aveludado) é no interior que ainda há muito para terminar.

Apesar de já estarmos próximos da data oficial de lançamento o HTC Shift ainda apresenta lacunas que já não existirão na versão final.
Fica então um ‘cheirinho’ do que a HTC tem para propor, nunca sendo demais realçar que o que será exposto poderá não constar da versão final, tal como certamentas diversas funcionalidades serão melhoradas.ver a notícia completa
Esta notícia já foi consultada 91132 vezes
30
Set
2007
A Toshiba granjeou a sua reputação através da criação de linhas de computadores portáteis rápidos, fiáveis e poderosos. Ao longo dos últimos anos a marca japonesa começou a diversificar o leque de ofertas passando a incluir no seu catálogo equipamentos direccionados para outros segmentos de electrónica de consumo.

Os dispositivos móveis foram um dos segmentos onde a Toshiba teve a oportunidade de colocar em acção todo o know-how adquirido no fabrico e concepção de sistemas portáteis, e que deu origem a uma gama de produtos avançados que ainda hoje deixam bastante saudades.
O abandono do segmento PocketPC, resultado da incapacidade de enveredar por uma guerra de preços que teria como principal consequência a diminuição da qualidade geral dos equipamentos, foi em parte compensado pelo lançamento no mercado asiático de um conjunto de telemóveis acessíveis e bem construídos.ver a notícia completa
Esta notícia já foi consultada 51313 vezes
7
Set
2007
HP apresenta nova linha de dispositivos móveis



Depois de um longa travessia do deserto, muito devido ao lançamento de produtos que sendo de qualidade acima da média nunca recolheram a preferência dos utilizadores finais, a HP demonstra que conserva a vitalidade dos tempos em que era líder deste segmento do mercado.



A gama hoje apresentada em Nova Iorque é composta por cinco novos modelos, cada um representando uma família de equipamentos dentro da marca. A estes juntam-se smartphone o já conhecido – o iPAQ 514 - e o competente iPAQ hx2400 que continua a reunir a preferência dos clientes empresariais.

Naquele que foi o maior lançamento de equipamentos e serviços da gama iPAQ de sempre, foram também apresentados 34 novos acessórios, 5 aplicações ou produtos de software e um dúzia de serviços dirigidos para o segmento de mobilidade.
A nota base deste evento é a centralização dos esforços no cliente profissional / empresarial sem deixar de considerar também o cliente pessoal, no fundo um dos grandes alicerces da HP em outros segmentos.ver a notícia completa
Esta notícia já foi consultada 46407 vezes
28
Ago
2007


A Microsoft surpreendeu meio mundo quando anunciou que tinha trabalhado em estreita colaboração com a rival Palm no lançamento do primeiro terminal do fabricante americano equipado com o Windows Mobile.
O lançamento do Palm 700w marcou a viragem económica da marca, cuja situação financeira se vinha degradando, e foi um dos principais factores que levaram a marca a voltar a alcançar uma situação estável.

Os defensores da marca, e do PalmOS em geral, consideraram uma heresia a súbita atracção da Palm pelo sistema operativo da Microsoft, mas o mercado logo se encarregou de demonstrar que a opção foi bem acertada.
Mas na verdade não se tratava de mais um equipamento Windows Mobile, mas sim de um novo Palm Treo que, por acaso, está baseado no sistema da Microsoft.

As alterações introduzidas pela Palm neste equipamento deram-lhe uma identidade própria diferenciando-o dos restantes equipamentos do mercado. Esta identidade única não advém do formato característico, e tão apreciado, dos Treos, mas da aplicação de todo o know-how da marca na criação da melhor versão do Windows Mobile do mercado.
Não fora o ecrã quadrado e a ausência de conectividade WiFi e certamente que este equipamento poderia ser rotulado de ‘o melhor terminal Windows Mobile do mercado’.

Antes de aprofundarmos as razões que nos levaram a atribuir o estatuto de Recomendado pela primeira vez a um terminal, gostaríamos de agradecer à Mobinav a cedência do equipamento aqui testado. ver a notícia completa
Esta notícia já foi consultada 121774 vezes
18
Jul
2007
Teste ao TDS Recon X
por pcdebolso


Pouco conhecidos do público em geral, os terminais empresariais têm hoje um papel de relevo nos sistemas de logística e de serviços do dia a dia.
A maior parte das vez considerados como outsiders ou ‘filhos bastardos’ do segmento Windows Mobile, este género de dispositivo é uma ferramenta fundamental nos locais de trabalho mais agrestes.

Robustez, resistência a poeiras, humidade e mesmo à imersão em água, bateria extra longa e uma grande expansibilidade são os atributos de qualquer equipamento deste género.
Dependendo do ramo ou tarefa em que forem aplicados, podem ainda aparecer equipados com leitores de códigos de barras, teclados numéricos ou alfanumérico, leitores de cartões ou de etiquetas RFID.
Aqui abordamos a versão de entrada de gama do TDS Recon, um dos mais sólidos e robustos equipamentos do mercado, mesmo levando em conta aquilo que costuma ser considerado ‘normal’ neste nicho.

Antes de começar gostariamos de agradecer à Terreno Digital, que representa e comercializa os TDS Recon e que nos cedeu o equipamento em análise.ver a notícia completa
Esta notícia já foi consultada 44463 vezes
Página 11234Próxima
 
 
24 750 858 visitantes
381 online neste momento